Educação em tempo de coronavírus: 5 dicas para elaborar sua estratégia

Educação em tempo de coronavírus: 5 dicas para elaborar sua estratégia

A cada notícia, as pessoas se veem confusas diante de um cenário jamais vivido por essa geração, sendo que o isolamento social tem provocado um grande alvoroço. Neste contexto, como será que fica a educação em tempo de coronavírus?

Embora estejamos sentindo o peso desse vírus agora, tudo isso começou no final do ano passado na cidade de Wuhan, na China, quando uma mutação do corona passou de animais silvestres para o ser humano e, com isso, o mundo ficou em perigo.

A seguir, para que consiga lidar com esse novo desafio da educação, trouxemos 5 dicas estratégicas que podem trazer um alento no cotidiano da escola. Confira!

1. Observe as informações e anúncios oficiais

Principalmente em uma época em que muita gente está alarmada com tudo o que tem acontecido no mundo, filtrar as informações é algo primordial para tornar sua gestão escolar eficiente.

De forma alguma podemos confiar em qualquer link enviado via smartphone, sendo necessária a checagem de dados para evitar a proliferação de fake news por aí, o que é um total desserviço à sociedade.

Para que você e sua equipe não tomem decisões precipitadas nem estabeleçam uma comunicação divergente, siga os canais oficiais da sua prefeitura, do governo estadual e, logicamente, as orientações passadas pelo Ministério da Saúde.

Procurar fontes confiáveis é uma forma eficaz de se blindar contra boatos e repassar informações fidedignas para seu público, que anseia por notícias apaziguadoras.

Independentemente da emissora, o jornalismo também tem um papel crucial nessa caminhada contra o coronavírus, servindo como apoio e epicentro da divulgação de materiais relevantes, principalmente quanto aos decretos oficiais.

Cabe aos gestores educacionais, então, prezarem pelos noticiários que trazem um panorama real dos casos, pois assim é possível se planejar e modificar as estratégias pedagógicas.

2. Tenha um posicionamento consciente no marketing

Se você e sua equipe de marketing tinham programado postagens referentes a assuntos que destoam deste atual cenário, melhor rever alguns conceitos e remodelar a estratégia adotada na comunicação escolar.

A partir do momento que as autoridades notificam a população sobre as medidas de contingenciamento que devem ser aderidas, a instituição de ensino precisa se posicionar e dar um parecer ao seu público.

Ao emitir comunicados oficiais, tanto para colaboradores quanto alunos, pais ou responsáveis, a escola mostra que enxerga a gravidade da situação e respeita as recomendações dos órgãos competentes, preservando assim sua credibilidade. O papo tem que ser diferente nesse momento, demonstrando empatia com todos aqueles que estão sofrendo com tudo isso.

Sendo assim, reveja todas as campanhas programadas para rodar no Facebook, Instagram, Twitter, WhatsApp e demais canais de comunicação da escola, afinal, é hora dar apoio às famílias.

Outra medida relevante a se fazer é utilizar as redes sociais da instituição para dar dicas de como lidar com a quarentena, indicando atividades educacionais e de entretenimento.

3. Conte com o apoio dos professores na elaboração de um plano de aulas

Mais do que nunca, as competências dos professores serão essenciais para fazer com que a instituição não sofra tantos danos assim em seu cronograma, no intuito de criar um plano de aulas diferenciado durante a quarentena.

A educação em tempo de coronavírus se vê em um episódio excêntrico, em que medidas paliativas surgem o tempo todo para minimizar os efeitos provocados pela expansão do contágio.

Contar com o apoio dos educadores é fundamental para assegurar que os alunos não perderão matérias importantes e que, embora a escola esteja fechada, o conhecimento está sempre aberto.

É hora de se reunir com o corpo docente, mesmo que seja por videoconferência, a fim de estipular um plano de aulas que abrigue os principais conteúdos do semestre, de modo que a linha de raciocínio continue.

Ouvir as opiniões de quem está na linha de frente da sala de aula é ótimo para compreender os anseios, as dúvidas, as ideias e vários outros aspectos que servem não somente para resolver esse caso, mas gerar planos para os próximos anos.

Os educadores sabem o que é melhor para suas turmas, pois reconhecem que a metodologia aplicada pode fazer uma grande diferença no aprendizado.

Pensando em ajudar as instituições de ensino, nossa parceira Happy Code – Escola de Programação, Maker e Robótica – desenvolveu atividades gratuitas que trabalham conceitos computacionais e de lógica sem a utilização de recursos tecnológicos. Essas atividades podem – e devem – ser compartilhadas com os pais de seus alunos como uma forma de auxiliá-los com soluções criativas para estimular as crianças que estão em casa.

Para acessá-las basta clicar AQUI.

4. Entenda qual é a melhor forma de adotar aulas online

Partindo do princípio de que a recomendação é ficar em casa, até mesmo para evitar aglomerações e não ter o risco do número de infectados aumentar, o jeito é utilizar formas criativas de passar os conteúdos das aulas para os alunos.

Com isso, lidar com as novas tecnologias pode ser a solução mais viável, a fim de reconstruir a matriz curricular e redesenhar a maneira de passar cada matéria.

Se observarmos as escolas dos países com casos de coronavírus, cada uma delas arranjou um jeito de manter o ensino em dia, fazendo com que os alunos não percam conteúdos importantíssimos para a formação acadêmica.

Claro que nessa mudança de paradigmas, a criatividade dos educadores conta muito para criar aulas que atraiam a atenção dos estudantes.

Sendo assim, busque alternativas viáveis para que a boa comunicação se estabeleça no ambiente on-line, ou seja, a utilização de uma plataforma de ensino a distância é uma grande estratégia para repor conteúdos e tornar as aulas interativas.

Além disso, a participação dos professores nas redes sociais, utilizando o espaço do feed de notícias e stories pode acrescentar bastante, complementando assim o ensino.

5. Estabeleça uma relação de parceria com os pais e responsáveis

Neste momento crítico que afeta não só a educação, mas praticamente todas as áreas da sociedade, a ponte entre a escola e os pais ou responsáveis deve ficar ainda mais sólida.

É preciso mantê-los alinhados à proposta pedagógica, até na intenção de firmar uma parceria duradoura e de acalmar os ânimos dos alunos, especialmente o das crianças pequenas.

Em uma crise, a união é indispensável para tentar não sentir tanto as dificuldades, por isso a escola exerce um papel fundamental na construção de bons laços com as famílias, a fim de vislumbrar a recuperação da comunidade a qual está inserida.

Assim como é importante cuidar do material pedagógico distribuído de forma on-line, a comunicação com pais e responsáveis precisa ser frequente.

Sempre que possível, marque conversas amigáveis para entender como cada núcleo familiar tem lidado com o que tem acontecido, de forma que a escola sirva como suporte para tornar o período de quarentena menos difícil de lidar.

Para que vençamos esse perigo, todos devem se unir e um só propósito, sendo que a educação é a base para termos uma sociedade melhor.

Para encerrarmos, não podemos deixar de ressaltar também que a educação em tempo de coronavírus é um alicerce para manter a saúde mental em dia, ou seja, a escola deve se preocupar com a parte psicológica de seus alunos, pois isso faz uma tremenda diferença nos comportamentos e no interesse pelo ensino.

Bom, se você gostou deste conteúdo e quer acompanhar outras postagens importantes, então não perca tempo e se inscreva em nossa newsletter ainda hoje!

Powered by Rock Convert
Post anterior Ensino de física: entenda como a robótica pode auxiliar
Próximo post Coronavírus e a educação on-line para crianças: 6 passos para estruturar as aulas
Close