Inadimplência escolar: 6 dicas para lidar com essa situação

Inadimplência escolar: 6 dicas para lidar com essa situação

Para manter a boa administração de uma instituição de ensino é preciso ter boas fórmulas de captação e retenção de alunos e uma educação de qualidade. Além de dominar esses pontos, você precisa receber em dia, ou seja, evitar a inadimplência escolar.

Grande parte do investimento em melhorias para a infraestrutura e educação de uma instituição depende do recebimento do valor das mensalidades. Quando ele não é realizado de forma correta, a gestão sofrerá dificuldades financeiras, o que prejudica a qualidade do ensino.

Neste artigo, vamos explicar por que acontece a inadimplência escolar. Além disso, traremos 6 dicas para lidar da melhor maneira possível com essa situação e garantir que o pagamento seja feito. Acompanhe a leitura!

Entenda por que acontece a inadimplência escolar

A inadimplência escolar pode acontecer por vários motivos, sendo o principal deles a falta de controle financeiro familiar ou dos responsáveis pelo pagamento. Por algumas vezes, esse investimento não é colocado como prioridade no orçamento, o que gera atrasos e até mesmo o calote.

Alguns imprevistos financeiros também podem ocasionar o atraso, já que ocasiões especiais requerem gastos acima dos planejados. Além disso, a crise econômica no país também dificulta a manutenção dessa despesa. Desse modo, algumas famílias desistem de colocar os alunos em escolas particulares, pois não conseguem arcar com as custos dessa educação.

É interessante ressaltar que os problemas com a inadimplência também podem estar relacionados com a inabilidade da escola na estratégia de cobrança. Falhas na administração escolar, como falta de políticas de cobrança e gestão financeira ineficiente, podem gerar desorganização no controle dos pagamentos e facilitar a vida do inadimplente.

Confira dicas para lidar com a inadimplência escolar

Na sequência, traremos algumas dicas que ajudarão a lidar com esse problema. Lembre-se sempre de tratar cada caso de forma única, sem constranger os devedores, porém, indo atrás dos seus direitos. Confira nossas sugestões!

1. Prepare a equipe

Ter uma equipe preparada para realizar as cobranças é um passo importante. Treine os colaboradores para elaborarem cartas de cobranças e enviar e-mails ou SMS, a fim de recordar os devedores sobre o pagamento.

Lembre-se de que isso deve ser feito de forma amigável, para não causar a antipatia nos responsáveis e aumentar a chance de eles efetuarem o pagamento rapidamente. Também dê liberdade para que esses colaboradores entrem em negociações, caso seja necessário.

2. Use diversos canais de comunicação

Cada pessoa utiliza o canal de comunicação de sua preferência. Enquanto alguns pais e responsáveis acessam o portal do aluno com frequência, outros utilizam mais o e-mail. Há ainda os que preferem receber as cobranças pelo correio ou apenas um lembrete por meio do celular.

Portanto, utilizar diversos canais de comunicação para enviar o boleto de cobrança e lembrar os responsáveis do vencimento da mensalidade do estudante é fundamental para diminuir a inadimplência escolar na sua instituição.

3. Ofereça descontos

Alguns incentivos podem motivar os pais e responsáveis a manterem o pagamento em dia. É possível criar descontos ou benefícios para quem for adimplente. Existem várias formas de fazer isso, como disponibilizar o desconto na mensalidade, na rematrícula, ou cupons para sorteios entre os bons pagadores.

O desconto pode parecer uma diminuição da receita, porém, uma redução no valor total é menos prejudicial do que deixar de receber a mensalidade completa. Se essa estratégia for eficiente, os ganhos serão maiores que as perdas.

Essa é uma maneira de estimulá-los a pagar as mensalidades em dia, mesmo nos momentos de dificuldade financeira. Agindo dessa maneira você também conseguirá aumentar a satisfação dos pais, que reconhecerão os esforços feitos.

4. Diversifique as formas de pagamento

Oferecer apenas uma forma de pagamento pode ser um problema. É possível que os familiares não tenham como pagar desse modo em determinado mês, o que gera o atraso. Além disso, a falta de flexibilidade pode ocasionar problemas logísticos para as famílias.

Quando a escola não permite a utilização de cartão de crédito, por exemplo, pode atrapalhar a dinâmica. Isso acontece porque a data do vencimento boleto pode não ser a melhor para determinada família, que naquele momento estará despreparada financeiramente. Portanto, quanto mais formas de pagamento a escola oferecer, menor a probabilidade de ocorrer alguma inadimplência por esse motivo.

5. Automatize os processos

A utilização de softwares e sistemas de gestão podem facilitar a redução da inadimplência escolar. Por meio dessas ferramentas, é possível disponibilizar a opção para os pais gerarem boletos no portal do aluno, facilitando o pagamento em caso de esquecimento.

Esses sistemas permitem que todas as informações sobre os alunos estejam na mesma plataforma, o que ajuda na percepção de quem está inadimplente ou não. Isso possibilita que a gestão crie planos de ação mais rápidos para combater os atrasos de pagamento.

6. Crie roteiros de cobrança

Como já falamos, é preciso ter habilidade para fazer as cobranças sem gerar problemas de relacionamento. Criar um roteiro de cobrança é essencial para que esse processo seja feito de forma efetiva e ajude a diminuir as inadimplências.

Saiba que a cobrança faz parte, portanto, não tenha medo de realizá-la. Defina quem será o responsável e padronize os passos. Leve em consideração o perfil do aluno e o valor da dívida, assim como tempo que ele está como inadimplente.

Conversar com o responsável é importante para entender o motivo do atraso e o que pode ser feito. Lembre-se de nunca expor os estudantes em sala de aula por esse problema, resolva diretamente com quem fará o pagamento.

Neste artigo, conferimos algumas dicas de como lidar com a inadimplência escolar. Esse problema pode trazer diversos impactos negativos para a administração da escola, pois prejudica a saúde financeira da instituição. Ele também afeta o planejamento, já que não é possível prever qual será o orçamento disponível, o que atrapalha o investimento em melhorias para o ensino. Além disso, o relacionamento com as famílias também é deteriorado, o que pode impactar o desempenho dos estudantes.

Gostou das nossas dicas para lidar com esse problema? Então, compartilhe o artigo nas nossas redes sociais!

Powered by Rock Convert
Post anterior Como estimular o raciocínio lógico com a tecnologia na escola
Próximo post Como a aprendizagem maker pode ser inserida na escola
Close