Conheça as 6 principais tendências da educação para 2019

tendências da educação

A internet e as novas tecnologias trouxeram novos tempos para todos. Nesse cenário, diferentes tendências da educação surgem e as escolas precisam estar atentas aos novos caminhos de aprendizagem para permanecerem em destaque no mercado educacional. 

Neste post, apontaremos as seis principais tendências da educação para o ano de 2019. Além disso, abordaremos as mudanças nas relações interpessoais e de ensino, ocasionadas pelas tecnologias. Confira!

1. Flexibilização curricular

Uma das principais tendências da educação é a flexibilização curricular. O objetivo é levar para a sala de aula a discussão sobre assuntos em pauta na sociedade e que fazem parte do cotidiano dos estudantes. A exemplo, a sustentabilidade, os direitos humanos, a tecnologia, a igualdade social e as questões de gênero.

Com a flexibilização curricular, existe a oportunidade de construir uma nova abordagem e uma formação escolar mais diversificado. Dessa maneira, é possível adaptar o ensino às necessidades individuais de cada aluno — tornando, assim, a sala de aula muito mais democrática e inclusiva.

2. Conscientização e inclusão

Como dissemos, com a flexibilização curricular é possível tratar de assuntos emergentes da sociedade, em sala de aula. E isso é importantíssimo, pois vivemos em um mundo onde já não há mais espaço para o preconceito, de modo que jovens precisam permanecer conscientizados acerca da diversidade.

O investimento na educação inclusiva também é uma das tendências da educação. As diferenças sempre existiram e precisam ser respeitadas. Há diversos alunos com síndromes, deficiências e transtornos que, assim como os demais, merecem um ensino de qualidade.

Por isso, é importante que educadores estejam atentos para as peculiaridades e necessidades desses jovens. É essencial lembrar-se de que cada ser humano é singular e que, antes de pensar sobre o desenvolvimento do currículo escolar, suas individualidades precisam — e devem — ser consideradas.

3. Exercício do diálogo e da escuta

É preciso instigar um diálogo no qual os jovens consigam expressar-se sem amarras. E, mais do que isso, é importante incentivá-los a escutar outros pontos de vista sobre um mesmo assunto, e fazê-los compreender que existem outras opiniões que devem ser respeitadas.

Durante esse momento, o processo de aprendizado deve ser estimulado a ocorrer em conjunto. É necessário criar um ambiente onde todos possam aproveitar essa atividade e refletir verdadeiramente sobre um determinado tema, com a ajuda uns dos outros.

4. Uso da tecnologia

Em um mundo cada vez mais conectado, tecnologia e educação podem andar de mãos dadas.

Diversas escolas já se valem dos inúmeros benefícios das ferramentas digitais no ensino. Veja, abaixo, algumas das vantagens!

  • aprimoramento na qualidade da educação: novas metodologias chegam para aperfeiçoar o processo educacional, ajudando educadores a encontrarem abordagens pedagógicas diversificadas;
  • aulas mais atraentes: a aprendizagem torna-se mais motivadora e encantadora;
  • aproxima alunos de professores: propicia um aprendizado conjunto que contribui para a socialização de docentes e discentes;
  • auxílio no desempenho escolar: com o estímulo, o interesse pelas atividades escolares cresce, assim como a produtividade dos alunos;
  • estímulo ao conhecimento e à troca de ensinamentos: os assuntos abordados em sala de aula passam a ser partilhados em âmbito familiar.

A seguir, destacamos quatro tendências tecnológicas da educação. Confira!

Gamificação

A gamificação consiste na utilização de mecânicas e dinâmicas de jogos para despertar e estimular o aprendizado. O recurso, que apresenta práticas ludopedagógicas e interativas, é bastante interessante para desenvolver a criatividade e aumentar a participação em sala de aula.

Mobile learning

No mobile learning, o ensino acontece em ambientes digitais, a distância. Por meio de dispositivos móveis (smartphones, tablets etc.) com acesso à internet, existe a possibilidade de utilizar metodologias diferenciadas, como livros digitais, videoaulas, aplicativos, cursos e-learning, entre outros.

Inteligência Artificial

O uso da inteligência artificial na educação é relativamente novo e tem sido timidamente adotado por instituições de ensino. O recurso é de grande valia para que o aluno consiga identificar rapidamente seu padrão de erros e acertos, pois ele trabalha basicamente com estatísticas. Assim, o estudante pode acompanhar, estatisticamente, a evolução de seu aprendizado, verificando acertos e dificuldades.

Robótica

A robótica é uma tendência indiscutível em diversos setores da sociedade. Além de promover a ligação entre o digital e o real, o recurso proporciona o protagonismo do jovem. Com a ferramenta, o aprendizado é aprofundado, pois ele passa a compreender na prática, por exemplo, teorias matemáticas ou físicas difíceis de serem assimiladas.

5. Ensino híbrido

Você já ouviu falar em ensino híbrido? Nessa modalidade, na qual ambiente online e offline misturam-se, o jovem tem a consciência, a todo momento, de que está aprendendo continuamente.

Por meio de plataformas, é possível efetuar leituras complementares, testes em tempo real, assistir a vídeos etc. E tudo isso acontece sob supervisão do professor, que permanece interagindo com o alunado.

6. LET (Lean Education Technology)

Antes de explicarmos a metodologia LET, é preciso compreender dois conceitos: Lean Startup e Design Thinking.

Resumidamente, o Lean Startup é uma abordagem voltada para o empreendedorismo, que consiste na criação e gerenciamento de negócios e no desenvolvimento de novos produtos. Já o Design Thinking foca na resolução de problemas e coloca o ser humano como o centro de processos.

A metodologia LET, concebida a partir dos conceitos supracitados, incorpora o empreendedorismo no dia a dia de jovens. Ela traz inúmeros benefícios para que, desde cedo, eles adquiram habilidades importantes para lidar com desafios, resolver problemas complexos, destacarem-se no mercado de trabalho e muitos mais.

Além disso, ela estimula a criatividade, o pensamento crítico, a comunicação e a colaboração.

Conheça os seis objetivos que norteiam a metodologia:

  • apresentação dos conceitos do empreendedorismo;
  • desenvolvimento da mentalidade empreendedora;
  • conhecimento das técnicas do Design Thinking;
  • aplicação dos conceitos apreendidos no Design Thinking (para realização de entrevistas ou pesquisas, compreensão de problemas e geração de ideias e de soluções);
  • projeção e construção de protótipos da solução encontrada;
  • apresentação das ideias de um projeto.  

Como você pôde ver, a tecnologia tem modificado consideravelmente o mundo da educação, ressignificando relações humanas e processos de aprendizagem e, ainda, tornando a aquisição de conhecimento mais relevante e profunda aos jovens.

Já não é possível que escolas distanciam-se dessa realidade: o mundo, e principalmente as pessoas, estão inevitavelmente mais digitais. Agora que você já conhece as seis principais tendências da educação para 2019, pode começar a pensar maneiras de implementá-las na metodologia de sua instituição!

Você gostou deste post? Então aproveite sua visita em nosso blog e confira as principais competências do professor do século XXI!

formação de professores
Post anterior Formação de professores: como prepará-los para o ensino do século 21?
lean startup
Próximo post Como o ensino de Lean Startup pode revolucionar a educação básica?
Close