Como a aprendizagem maker pode ser inserida na escola

Como a aprendizagem maker pode ser inserida na escola

As metodologias ativas ajudam a melhorar a qualidade de ensino por meio da utilização da tecnologia na educação e ao transformar a abordagem tradicional dos professores. A aprendizagem maker é uma dessas propostas que pode trazer benefícios importantes para sua escola.

Por meio desse conceito, a escola pode dar aos alunos oportunidades para desenvolverem a autonomia, criatividade e a capacidade de resolução de problemas. Para que todo o potencial seja aproveitado, é importante saber como implementar essa ideia no cotidiano educacional.

Neste artigo, vamos entender o que é a aprendizagem maker e trazer algumas dicas de como inserir esse método na sua escola. Confira mais sobre o assunto!

Entenda o que é aprendizagem maker

O movimento maker originou do conceito de DIY (do inglês, “do it yourself”), que significa “faça você mesmo”. Ele pode ser visto como uma das metodologias ativas, tendo como característica o protagonismo do aluno durante o processo educacional.

As escolas começaram a investir na cultura maker como uma forma de aprendizagem. O fundamento desse método está relacionado a colaboração, troca de conhecimentos, proatividade, experimentação e prototipagem, entre outras características.

Adotar essa tendência na escola é fundamental para o estudante, pois ela traz inúmeros benefícios para o desenvolvimento cognitivo e emocional. O estímulo da autonomia é um deles, já que os alunos precisam encontrar as soluções para seus próprios problemas.

Além disso, o método também estimula o trabalho em equipe e ensina aos alunos a lidarem com as diferenças de pensamento, o que será importante para o futuro profissional. De modo geral, ele também ajuda a melhorar o desempenho escolar, já que desenvolve o raciocínio lógico e a criatividade.

Confira dicas de como inserir a aprendizagem maker na escola

Inserir a aprendizagem maker na escola é uma forma de aumentar a captação de alunos, pois esse é um diferencial relevante no currículo. Confira algumas dicas de como aplicar o método!

Peça a colaboração dos professores

Para que esse método seja eficiente é preciso planejamento e uma mudança de cultura por parte dos professores. Eles precisam entender o conceito e valorizar a parte criativa dos estudantes. Quando essa colaboração não acontece, a iniciativa não terá os resultados esperados.

Os professores precisam estar dispostos a colaborar com a implantação dessa ideia e reconhecer que essa visão é uma oportunidade de aprendizado na prática. O papel deles é diferente se comparado aos conteúdos convencionais, pois o centro da aula é em quem está fazendo, não na autoridade do professor.

Mude o mobiliário

A disposição do mobiliário também precisa ser repensada, pois o espaço deve ser acolhedor e colaborativo, sendo diferente dos modelos tradicionais. Permita que os estudantes trabalhem em grupo, o que pode ser feito ao reorganizar as mesas e cadeiras do ambiente. Ofereça uma experiência nova para os alunos, aguçando a criatividade e o interesse pela atividade.

Utilize o que tiver ao seu alcance

Você pode pensar que sua escola não tem os recursos necessários para viabilizar o começo do movimento maker. Porém, é preciso deixar claro que a criação dessa cultura acontece de acordo com as possibilidades e o ritmo de cada instituição. Não é necessário comprar tudo para iniciar o projeto.

O investimento em equipamentos e materiais pode ser feito aos poucos, sendo que o importante é começar logo a mudar a mentalidade. A escola pode começar com atividades mais simples e incrementar ao longo do tempo. Nesse período, é possível utilizar produtos recicláveis, kit de blocos de montar e placas de circuito, materiais que não são tão caros e que oferecem oportunidade para grandes criações.

Estimule a criatividade

A criatividade é um dos pilares da aprendizagem, sendo importante estimulá-la durante as atividades e projetos. Os professores podem aproveitar que os alunos estão em um ambiente modificado e em contato com recursos diferentes para pedir que criem soluções para os problemas propostos.

Os alunos podem mexer com canetinha, tesoura, estilete, ferramentas e materiais eletrônicos, como leds, motores e conectores. Deixei que a criatividade seja exercitada ao utilizarem esses recursos, permitindo que novas ideias e soluções sejam criadas.

Aposte nas ferramentas e recursos certos

A utilização de recursos e ferramentas é essencial para que a aprendizagem maker ocorra de forma plena. É preciso integrar as diversas tecnologias no processo de ensino dos alunos.

Quando diferentes recursos tecnológicos são utilizados, como dispositivos digitais, itens de robótica e ferramentas analógicas que possam ajudá-los a solucionar os problemas propostos pelos professores, os benefícios para a educação são visíveis.

Busque inspirações

Vários professores e escolas estão investindo em espaços maker para qualificar o processo de aprendizagem, portanto, pesquisar sobre isso pode ser uma boa ideia. É possível encontrar estratégias interessantes que ajudarão a inspirar a implantação desse método na sua instituição.

Não tenha medo de usar essas inspirações para encontrar o melhor método para a sua realidade. Algumas adaptações e melhorias podem ser feitas com base no que já é realizado em outros locais. O importante é encontrar a melhor forma de aplicar esse conceito na sua instituição.

Escolha os parceiros certos

Para que a implantação seja mais eficiente, a escola pode contar com a contribuição de parceiros. O ideal é buscar ajuda especializada para atingir os resultados esperados. Uma opção é contratar treinamentos para os colaboradores, que aprenderão a aplicar os conceitos nas atividades escolares.

Outra opção é contratar uma empresa terceirizada, que colocará em prática a aprendizagem maker na rotina escolar. Nos dois casos, é importante que a administração e os professores compreendam as atividades realizadas e se envolvam no processo.

Neste artigo, vimos como a aprendizagem maker pode ser inserida na educação e a importância dessa estratégia. Ao não adotar esse método, sua escola pode perder uma oportunidade de desenvolver os alunos de modo completo, além de ser um diferencial relevante para o currículo. O estímulo à autonomia, criatividade e resolução de problemas contribui para melhorar o desempenho escolar dos estudantes, sendo fundamental investir em abordagens que ofereçam essas competências.

Gostou de conhecer mais sobre esse assunto? Então, aproveite para acessar nosso guia completo para implantar a aprendizagem maker!

Powered by Rock Convert
Post anterior Inadimplência escolar: 6 dicas para lidar com essa situação
Próximo post Ensino de física: entenda como a robótica pode auxiliar
Close