Educação empreendedora: afinal, quais são os benefícios?

Afinal, quais os benefícios da educação empreendedora?

Afinal, quais os benefícios da educação empreendedora?

O mercado da educação transformou-se consideravelmente nos últimos anos, e provavelmente você sentiu o impacto dessas avassalantes mudanças, não é mesmo? Deparamo-nos com novas tendências e diferentes metodologias capazes de impulsionar o aprendizado dos estudantes e proporcionar a eles experiências que impactam todos os campos de suas vidas.

Assim, torna-se fundamental destacarmos a educação empreendedora — um conceito inovador que objetiva preparar jovens para a vida pessoal e profissional, desenvolvendo competências essenciais para que sejam bem-sucedidos, proativos e confiantes.

Interessou-se pelo assunto? Então, acompanhe o post a seguir. Elencamos as vantagens da educação empreendedora e explicamos de que forma crianças e adolescentes beneficiam-se dela. Confira!

A importância da educação empreendedora

Em virtude de tantas transformações, a sociedade contemporânea, assim como o mercado de trabalho, mudou bastante: hoje, as exigências são outras. O mundo anseia e busca por pessoas dotadas de habilidades múltiplas, que saibam adaptar-se a situações diversas, que demonstram autonomia e, ainda, realizam ações transformadoras.

Nesse sentido, a educação deve acompanhar essa demanda e proporcionar aos jovens, desde cedo, uma formação completa, multidisciplinar e focada em uma nova concepção da construção do conhecimento — possibilitando, assim, que eles sejam capazes de construir seus próprios caminhos com persistência, otimismo e determinação.

A educação empreendedora torna isso possível. Baseada na teoria comportamentalista, a metodologia objetiva, principalmente, desenvolve o ser humano dentro de um meio social. Além disso, ela estimula o pensamento crítico, a análise de problemas substanciais e a busca por soluções efetivas para eles.

O estímulo ao empreendedorismo

Empreendedorismo é um conceito ligado ao mundo empresarial, definido como a habilidade que um indivíduo tem de reconhecer problemas, identificar oportunidades e criar possibilidades para gerar algo benéfico para membros de uma sociedade. Pode ser a concepção de uma empresa, de um produto ou serviço, ou um projeto que provoque impacto positivo no dia a dia das pessoas, por exemplo.

Antes de mais nada, é importante deixar claro que esse conceito não é aplicado no mundo educacional com o intuito de fazer com que estudantes sejam inseridos no mercado profissional antes do tempo. Ou, ainda, que tenham contato com temas complexos do universo corporativo. Como dissemos no começo deste artigo, a educação empreendedora está pautada no desenvolvimento do ser humano.

Assim, clarificamos que a estratégia objetiva leva às salas de aulas atividades de cunho educativo, que apresentem noções administrativas, financeiras e profissionais — sempre com foco em habilidades pertinentes aos diversos âmbitos da vida, especialmente o pessoal.

A partir do empreendedorismo, estudantes compreendem as diferenças entre diversos empreendimentos, aprendem a organizar-se financeiramente e têm contato com aspectos do mercado profissional. 

Acompanhe, a seguir, algumas vantagens imediatas do estímulo ao empreendedorismo:

  • compreensão da responsabilidade;
  • incentivo à persistência; 
  • estímulo ao comprometimento;
  • desenvolvimento da autoconfiança; 
  • incentivo à proatividade. 

O desenvolvimento da liderança

A educação empreendedora desperta em crianças e adolescentes competências que muitos adultos almejam ter, como a liderança — uma habilidade altamente requerida pelo mercado de trabalho atual. No entanto, o desenvolvimento dessa habilidade não está focado especificamente na “arte” de liderar. Trata-se mais de mostrar aos jovens que são capazes de conduzirem a si mesmos rumo à conquista de seus sonhos.

Por esse motivo, o trabalho deve começar muito cedo. Afinal, o estímulo precoce da liderança assegura que crianças e adolescentes estejam preparados para conceber suas próprias convicções, reconhecer suas capacidades e atuar com o objetivo de desenvolverem-se plenamente. E, além disso, incentivar e contribuir para que as pessoas ao redor façam o mesmo.

A resolução de problemas

O modelo tradicional de ensino é unilateral e está focado em capacitar jovens aptos a repetir tarefas e serem, essencialmente, bons executores. Por meio da educação empreendedora, esse cenário transforma-se por completo. O foco está na formação de pessoas com um comportamento mais flexível, proativo e aptas a lidar com um mundo díspar, diverso e inconstante.

Ao experienciar parte do universo do empreendedorismo, adolescentes e crianças aprendem a lidar com conflitos internos e externos, e são estimulados a encarar os problemas, independentemente de quais sejam, positivamente. A partir daí, são incitados a enxergar possibilidades nas adversidades, analisar cenários, avaliar recursos e buscar as melhores soluções para diversas questões — sempre com coragem, determinação e autonomia.

O desenvolvimento criativo

Engana-se quem acredita que a criatividade está ligada somente às aulas de artes e à expressão emocional. O processo criativo também está associado às demais disciplinas e deve ser elemento presente no dia a dia da sala de aula das escolas.

Para muitos, a criatividade é considerada um talento, mas saiba que é totalmente possível desenvolvê-la, especialmente através do ensino empreendedor. Por intermédio do conceito, alunos são estimulados a agir, aproveitar oportunidades e conceber estratégias essenciais para colocar em prática suas ideias e propósitos.

Assim, a educação empreendedora serve como ferramenta para estimular a vontade de crescimento individual dos jovens, para motivá-los a assumir riscos, serem proativos, realizar sonhos e transformar contextos com criticidade, responsabilidade e autonomia.

Viu como o empreendedorismo traz diversos benefícios para o sucesso da vida pessoal e profissional de crianças e adolescentes? Agora que você já sabe como a educação empreendedora é vantajosa para eles, pode começar a pensar em maneiras de utilizá-la para desenvolver os estudantes de sua escola de forma abrangente e multidisciplinar, não é mesmo?

Consideramos que o conceito será um aliado de grande valia no processo do ensino-aprendizagem! No entanto, para estimular a criatividade verdadeiramente, recomendamos que se certifique de prover aos seus alunos um ambiente educativo distante do modelo tradicional e unilateral — onde haja espaço para reflexão, desafios e muito protagonismo.

No final das contas, acredite, valerá a pena: será surpreendente ver o quanto um jovem é capaz de crescer por si mesmo. Abra mão do controle, mas não dispense, de maneira nenhuma, a atuação dos professores nesse processo. Eles são peças fundamentais na educação empreendedora, pois são responsáveis por orientar jovens durante essa nova jornada de descobertas e muito autoconhecimento.

Gostou deste conteúdo? Se você não tem ideia de como começar a implementar a metodologia no cotidiano dos seus alunos, não se preocupe. Aproveite sua visita em nosso blog e saiba agora como aplicar a educação empreendedora em sala de aula!

Comunicação escolar
Post anterior 6 dicas práticas para melhorar a comunicação escolar
4 desafios da gestão escolar na educação do século XXI
Próximo post 4 desafios da gestão escolar na educação do século XXI
Close