7 dicas para um planejamento escolar eficiente | Escolas Disruptivas

7 dicas para um planejamento escolar eficiente

7 dicas para um planejamento escolar eficiente

É inegável que o ensino vem mudando nos últimos anos, e se adaptar às transformações é uma questão de necessidade. Dessa forma, realizar um bom planejamento escolar se torna uma tarefa cada vez mais significativa para garantir a sobrevivência da instituição.

Trata-se de uma estratégia documentada que contribui com as diretrizes pedagógicas, mantém a equipe comprometida, deixa os alunos engajados, entre outros fatores.

Para que você tenha melhor noção do tema, elencamos aqui os benefícios dessa prática em 7 dicas essenciais para desenvolver um planejamento eficiente. Acompanhe a leitura e confira!

Os principais benefícios do planejamento escolar

O planejamento escolar funciona como um norte para a instituição de ensino, trazendo clareza tanto para os professores quanto para os pais acerca da intenção educacional. Alinhado à proposta pedagógica, ele garante a unidade entre os objetivos, valores e ações ao longo do ano letivo.

Assim, essa ferramenta gera inúmeros benefícios, como os destacados aqui!

Guiar o trabalho dos educadores

No planejamento pedagógico os conteúdos são distribuídos ao longo do ano letivo, assim, o documento serve como um guia para os professores montarem suas aulas de forma mais eficiente e dinâmica.

Além de facilitar o trabalho do professor, reduzindo o tempo gasto por ele nessa tarefa, proporciona a troca de ideias entre o corpo docente — professores e coordenadores pedagógicos, uniformizando a matéria e construindo uma unidade escolar, em torno de objetivos comuns.

Manter o foco nas metas escolares

O planejamento consiste em um plano de ação que confronta a realidade da escola com as intenções da equipe pedagógica, ou seja, um meio para transformar essas propostas em realidade, soluções para a concretização das ideias.

Assim, todos os envolvidos podem trabalhar em prol dos mesmos ideais, sendo o papel de cada um definido no planejamento, que traz para o cotidiano escolar os objetivos da instituição.

Dessa forma, o planejamento pedagógico faz com que todos mantenham o foco nas metas estabelecidas, tornando-se uma oportunidade para que a escola reavalie sua missão, bem como professores e coordenadores repensem seu compromisso com ela.

Mais do que um requisito burocrático, trata-se de uma diretriz que possibilita a cada membro do corpo docente direcionar seu trabalho de acordo com as propostas estabelecidas, alinhando o plano da instituição com seus valores, de forma que toda a escola aja no cotidiano para um objetivo comum.

Cumprir as exigências externas

Quando elaborado, o planejamento pedagógico considera as diretrizes do Ministério da Educação, prevendo o cumprimento de todas as suas exigências. Desse jeito, a ferramenta funciona ainda como um lembrete para os professores e coordenação.

Ao seguir o plano na elaboração das aulas e organização do cronograma de ações escolares, ninguém corre o risco de esquecer algum ponto relevante no momento de elaborar aulas e programar atividades práticas.

Conciliar os interesses da comunidade escolar

Para cumprir sua finalidade e ser um instrumento de melhoria da educação, é fundamental que a comunidade escolar participe das decisões que levam à criação do planejamento pedagógico. Assim, ele deve englobar todo o contexto da instituição de ensino, partes internas e externas — docentes, discentes, funcionários, governo, família e comunidade.

Portanto, além de estimular a troca de experiências entre membros da equipe escolar, o planejamento abre um canal de comunicação com o conselho de pais e com a comunidade, em um processo de mobilização, favorecendo a participação, contribuição, acompanhamento e avaliação.

Dessa maneira, o planejamento pedagógico contribui para conciliar os interesses de todos, tornando a escola mais democrática e ciente das demandas externas, articulando-as com o papel da própria escola — educar.

Revisar e reavaliar o que foi feito no ano anterior

Por fim, outra demanda do planejamento é a revisão das ações e resultados passados, o que leva a uma reflexão crítica sobre o trabalho pedagógico. Assim, a cada novo planejamento, há uma janela para reavaliar o anterior, por exemplo, as formas de avaliação, e corrigir falhas ou melhorar o que for necessário.

Esse é também o momento de analisar novas estratégias no sentido de manter a escola se desenvolvendo e acompanhando os avanços da tecnologia e as novas demandas de dentro e fora da instituição.

7 dicas para um planejamento eficiente

Mas, afinal, como fazer um bom planejamento pedagógico? Veja nossas dicas!

1. Analise os dados do ano anterior

Antes de mais nada, é fundamental que exista uma análise crítica dos dados obtidos no ano letivo anterior, pois isso contribui para que a diretoria e o corpo docente consigam ter um feedback do que deu certo ou errado. Para tanto, verifique as atividades realizadas e como elas colaboraram para a captação de alunos efetivamente.

Sempre que possível, utilize dados estatísticos que ajudem a mensurar o número de matrículas efetuadas, a taxa de quebras de contrato, o número de queixas e demais informações que sejam relevantes para alinhar o planejamento escolar. Esse balanço permite que você tenha uma noção melhor de quais ações precisam ser implementadas e que demandam urgência ou não.

2. Proponha melhorias

Tendo os números do período anterior em mãos fica mais fácil propor melhorias que sejam suficientes para suprir os interesses da escola, dos alunos, dos professores e da comunidade como um todo. Nesse momento é interessante apresentar várias ideias e refiná-las para obter o melhor direcionamento possível.

No entanto, é indispensável analisar os custos envolvidos nesse processo de melhoria e quais ações são realmente necessárias, tais como uma reforma no prédio ou nas salas, a aquisição de equipamentos, a troca do material didático etc. Além disso, vale pensar em questões que auxiliem a manter uma imagem positiva da escola, visando ao impulsionamento da marca e à fidelização de alunos.

3. Trace metas alcançáveis

Um bom planejamento só funciona de verdade se os objetivos fizerem sentido com a proposta pedagógica, tendo em vista que eles sejam quantitativos e, consequentemente, mensuráveis. É indispensável avaliar quais as mudanças a serem implementadas na instituição e se elas ocorrerão em curto, médio ou longo prazos.

Você precisa considerar aspectos fundamentais nessa equação, os quais envolvem uma boa gestão de tempo, o orçamento investido, as pessoas responsáveis em cada setor, entre outros pontos relevantes. Qualquer tomada de decisão deve ser realista, visando a resultados específicos e, principalmente, analisando os prós e os contras.

4. Estabeleça um cronograma de ações

Com as metas muito bem definidas, torna-se essencial o desenvolvimento de um cronograma de ações que norteará os afazeres exercidos no ano letivo. Ele deve trazer as informações referentes ao calendário escolar, tais como o número de dias de aula, a quantidade de feriados, o período de recesso e, inclusive, as datas para as reuniões dos pais.

Tendo tudo isso devidamente documentado fica muito mais simples acompanhar o desempenho na instituição de ensino e avaliar possíveis modificações ao longo do ano. A fim de estabelecer uma comunicação escolar efetiva, vale deixar claro como será a grade de horários, a programação das datas comemorativas, as avaliações semestrais, as atividades diárias, entre outros aspectos igualmente importantes.

5. Delegue as responsabilidades

Por mais que queira resolver todas as situações pedagógicas e administrativas, você deve saber bem que nem sempre é possível dar conta de todos os afazeres e, com isso, delegar funções é algo de extrema importância para os processos internos fluírem. Para ter uma administração escolar de qualidade é preciso de uma visão sistêmica do negócio, e reunir a equipe para distribuir responsabilidades é uma das etapas cruciais.

Mostre para todos como o trabalho em equipe é primordial para o ensino ser satisfatório e como, naturalmente, isso aumenta o interesse dos alunos. Todavia, delegar a cada um tarefas na escola não quer dizer que você se isentará das próprias funções, mas, sim, descentralizará a administração para tudo ficar mais organizado e coerente com os propósitos da escola.

6. Implemente novas tecnologias

Se você acredita que o investimento em tecnologia é algo muito caro ou que sua instituição de ensino não precisa disso, então é melhor rever alguns conceitos, pois a implementação de novas tecnologias no ensino contribui muito para o planejamento. De um software de gestão até o material didático utilizado em sala, a tecnologia é necessária para agilizar os processos e conferir um aprendizado de qualidade.

Para se ter uma ideia do poder dos recursos tecnológicos durante o ano letivo, a metodologia STEM, por exemplo, permite que os alunos assimilem melhor as disciplinas com assuntos básicos do dia a dia, fazendo com que o desempenho avance substancialmente. Ao longo do tempo, o raciocínio lógico dos jovens fica muito mais apurado e isso acaba refletindo nas notas.

7. Envolva toda a comunidade

Sem sombra de dúvidas, um dos pontos-chave para o sucesso do planejamento escolar é envolver a comunidade local e os pais em torno das atividades exercidas pela instituição. Quando a família está ciente da programação estipulada pela escola, fica mais fácil acompanhar o desenvolvimento dos filhos e, por consequência, auxiliá-los nas tarefas, gerando uma relação saudável entre ambas as partes.

Ter essa integração permite que os pais percebam quaisquer diferenças no planejamento e possam participar mais do processo, gerando maior engajamento deles em relação ao ensino dado aos filhos. Para tanto, realize atividades que reúnam os professores, os pais, os filhos e demais pessoas da comunidade, tais como comemorações sazonais, competições acadêmicas, exposições e assim por diante.

Portanto, ao realizar o planejamento escolar daqui em diante, leve em consideração todas as atenuantes que citamos e, se possível, tenha como meta a escolha de empresas parceiras para auxiliarem nesse processo, pois isso será um diferencial competitivo e tanto.

O que achou deste artigo? Costuma investir em equipamentos modernos na sua instituição? Se quiser entender melhor a respeito do assunto, aproveite que está por aqui e entenda o papel da tecnologia na educação infantil!

Powered by Rock Convert
espaço maker o que e
Post anterior Espaço Maker: saiba o que é e como inovar criando esse espaço
Próximo post Tecnologia Educacional: muito mais que robótica na sua escola
Close